quinta-feira, janeiro 27, 2011

devagar, devagarinho...

continuo com a sensação de que ando a ser atropelada três vezes por semana, e ainda por cima pago para isso. a próxima semana promete todo um novo mundo de dores, mais três vezes, pelo menos em dias alternados. diz que lá para março já tenho a minha vida de volta, que estou a melhorar a olhos vistos, qual milagre da fisioterapia.

o agudo das dores já ia em tal escala que cheguei a duvidar que alguma vez fosse ter de volta a minha vida sem dores, sem limitações, sem farmácias de serviço permanente. quero muito chegar ao dia em que me consiga abstrair de que tenho costas, coluna, cervical, zona lombra, nervo ciático e essas coisas. quero que existam, sem me lembrarem constantemente que ali estão, a massacrar, a massacrar... quero que funcionem, sei lá, como o apêndice, que nem sei onde está, nem o que está a fazer, mas está. mais discreto é impossível. quero poder sentar-me à balda, apanhar a caneta que cai ao chão sem pensar que a seguir tenho de me levantar, quero entrar no carro sem ter de endireitar o banco como uma recém-encartada, enfim... quero a minha descontração diária de volta, com a promessa de que não volto a adotar má postura.

para já, a paciência ajuda-me a estar em repouso (quase) absoluto. é o chamado vivó descanso forçado. valha-me os progressos visíveis.

2 comentários:

lisabel disse...

Em Março damos uma festa para celebrar o fim desse calvário! : ) Mas realmente é impressionante como só damos valor ao funcionamento do nosso corpinho quando ele nos dá problemas...

mary-john disse...

em março, tudo será como dantes! o mais ridículo, é que duas das coisas por que mais anseio é poder andar de bibicleta outra vez, e fazer uma viagem de carro de umas boas horas sem chegar ao destino aos gritos com dores :)