quinta-feira, janeiro 17, 2008

to begin, began, begun...

escrever em 2008. talvez no mês dois. para já, ando sem capacidade de escrever com filtro e a tendência é sempre a de escrever sobre aquilo em que não quero pensar, para não escrever. o regresso de uma ansiedade que não descola nem por nada marca o início do ano e desforro-me na música. acho piada à facilidade com que nos apropriamos das músicas e elas de nós. estou a lembrar-me de um telefonema do t. há uns tempos a meio da manhã. ouviu uma música dos wilco e lembrou-se de mim. fiquei admirada. havia opções bastante mais óbvias. dei por mim a pensar ao telefone que músicas me fariam ligar-lhe pela mesma razão. hmm... esta não é fácil. talvez, ande distraída. voltando ao que estava a dizer, começo 2008 entre discos e análises instrospectivas. e por hoje, quero apenas deixar duas capas. dois discos que estão cheios de músicas capazes de me fazer esquecer que existe uma vida lá fora.

fui viciada no primeiro álbum dos shout out louds. sei-o de cor e foi um castigo para o trocar por outro no leitor de cds. lembro-me do concerto em paredes de coura como se fosse ontem e tenho uma especial empatia com a voz do - claro está - vocalista. gostei sobretudo de ouvir o "tonight i have to leave it" no anúncio da optimus porque é sinal que já mandaram à fava o assobio do "young folks" dos outros três sem sal. é bastante provável que daqui a um mês esteja outra vez a dizer mal da optimus. têm mesmo de fazer campanhas tão cerradas? o efeito inverso, o efeito inverso... mas, passando à frente do "tonight i have to leave it", só tenho a dizer que estou absolutamente viciada nas canções "you are dreaming", "impossible" e "south america". gosto particularmente da referência a portugal em "you are dreaming".



shout out louds - our ill wills - 2007



o outro disco que me tem acompanhado para trás e para a frente pertence ao novo projecto de Devonte Hynes dos Test Icicles. Este chama-se Lightspeed Champion e o álbum foi baptizado na graça do senhor - do Devonte, claro está - de "Falling off the Lavender Bridge". Começa de mansinho e quando damos por ele estamos infectados com o micróbio contagioso de uns e outros refrões. da parte que me toca já não sei o que fazer para tirar da cabeça as canções "dry lips" e "tell me what it's worth". até porque me fazem lembrar outras que tais,de que também já fui dependendente, mas que agora - convenientemente - não me lembro de que terra são.


lightspeed champion - falling off the lavender bridge - 2008

Sem comentários: